quarta-feira, Outubro 01, 2014

Não direi merda, porque a merda é muito pura: por favor, não insultem natureza




Os excrementos são coisas da natureza, logo, algo de puro e de limpo. Que ajudam a conservar e a manter a fertilidade da terra.

Não é o caso da corrupção política, económica, etc.. A palavra para referir tais coisas tem de ser necessariamente algo de muito mais nojento.

Como a corrupção no caso dos submarinos, referidos nesta notícia e em milhares de notícias (esotéricas), que referem, (sem referir) elementos do atual governo.


VER AQUI:


O que será algo de muito mais nojento do que a merda? Talvez os automóveis de luxo? As mansões de luxo? Os perfumes subtis e luxuosos? Tudo aquilo que pode ser comprado com a corrupção, incluindo a extrema higiene?

Por favor, não insultem os excrementos, as fezes, a merda.


Este post vem na sequência lógica do anterior.

sexta-feira, Setembro 26, 2014

Tradições do Nepal: Jamara, a erva sagrada







Está agora a decorrer o Festival Dashain, o principal festival do Nepal, que dura 15 dias e que prima pela estranheza, para nós.

Já aqui várias vezes foram referidas tradições do Nepal, que surpreendem pela quantidade, variedade e, sobretudo, pela diferença absoluta em relação a outras tradições, como as europeias. Este blogue pretende divulgar em língua portuguesa, para países de língua portuguesa, algumas tradições orientais que só existem na Internet em língua inglesa.

Relacionado com a lua cheia, a mais brilhante do ano, esta festividade tem inúmeras prescrições, já aqui referidas. VER clicando em baixo, no post.

Para iniciar, é costume semear cevada, da seguinte maneira: coloca-se um quadrado de areia na parte principal da casa, sobre esse quadrado um pote, digamos uma vasilha com água, na qual se dispõem sementes de cevada. Cobrem tudo com bosta de vaca, vaca sagrada, claro.

Ao fim de nove dias a erva estará crescida e é considerada uma erva sagrada, cujo nome é "JAMARA".


Sendo esta  a tradição comum, com grandes  e inúmeros detalhes como é próprio das tradições, acabo de descobrir que algumas pessoas semeiam a "jamara" sobre o seu próprio corpo, de acordo com todos os rituais, esperando tranquilamente que a erva cresça. Como se vê nas fotos, a primeira no primeiro dia, e que a erva foi semeada, a segunda, de ano anterior, com a erva já crescida.

Chama-se a isto deixar crescer a jamara no seu corpo. Difícil ou impossível para nós de entender, como será difícil ou impossível para eles entenderem o nosso Cristo crucificado, por exemplo. Até para mim é esquisito... Todos queremos um deus invulnerável.

A princípio, as mulheres eram impedidas de entrar no aposento onde cresce a jamara, agora, com a libertação da mulher, até a podem deixar crescer no seu corpo.


Dizem-me que vai haver amanhã um primeiro desfile em Lisboa, relacionado com o festival. Não estarei cá. Não faltaria.

VER AQUI:

Divindades hindus saem em procissão para " conhecer" Lisboa e abençoar a população

Para saber mais, clicar nos links abaixo: Festivais da Lua e Festivais das Luzes, neste blogue.

sábado, Setembro 20, 2014

Boa noite de sábado na terra



Boa noite de sábado para os meus amigos e amigas: é fácil, basta saber que não estamos a afundar-nos
que debaixo da nossa cama não há tubarões... 
só não entende isto quem nunca navegou pelos mares.


sexta-feira, Setembro 19, 2014

Os nossos 800 mártires








Por este andar, Portugal não tarda a igualar os 800 mártires italianos recém canonizados pelo Papa Francisco.


Anterior Papa canoniza 800 mártires e três santos - Público


OU MAIS:

Passos Coelho não nega ter recebido dinheiro da Tecnoforma quando era deputado em exclusividade


Mas este último crime é difícil de descobrir e quando se descobre, prescreve.
O Expresso informa que já prescreveu, daí o ministro não ter negado. 
Em vez de ser um proscrito, é um prescrito.




segunda-feira, Setembro 15, 2014

Fila para a Sopa dos Pobres / Fila para os Gelados Santorini (Secs. XIX-XX)





LISBOA

Fotos expostas na Misericórdia de Lisboa, versus fotos tiradas em 14/9/2014

Maria de Lurdes Rogrigues, a tremenda Sinistra, fez mais milagres do que um santuário




Como vigarista, esta criatura teve o condão de perceber que há muitos professores vigaristas. Curou mais professores doentes, crónicos e agudos, do que a Senhora de Fátima, ao instituir que se ganha menos quando se está doente. A ingenuidade de ganharmos todos o mesmo, trabalhando ou não... 

Fez mais milagres do que um santuário porque entende os vigaristas como ninguém os entendeu antes dela. Porque é ainda pior do que eles.

Quando esta criatura era ministra da educação, nunca publiquei aqui uma su fotografia, mas sim uma destas galináceas, de que tenho vasto repertório.

Isto da pena suspensa tem alguma consequência, ou fica tudo bem? E pode voltar a ser ministra da Educação? 

domingo, Setembro 14, 2014

O rosto feio deste país! Nojento, mesmo.

Isabel Jonet, fundadora da organização "de caridade" que sustenta muitos portugueses sem recursos, tem sido muito criticada por uma esquerda cada vez mais parva, em completa auto destruição.

Uma das razões foi ter dito recentemente que há profissionais da pobreza.

A senhora também tem sido criticada, por muita gente comum, e neste caso com razão, por dar de comer a quem não tem fome.
Se calhar muitos conhecemos situações como esta: gente que ganha mil euros estende a mão à caridade. Quando a caridade é, em parte, feita por gente que ganha quatrocentos euros, ou até menos.
Eu conheço gente assim, embora muitos meditam que vivo noutro planeta.

Sim, vivo noutro planeta. Porque só preciso de usar poucas das minhas capacidades (competências?) para estar neste um pouco de tempo e para o entender.

Alguém duvida que há pobres profissionais, pedintes profissionais, etc? Sempre houve.
E em Portugal são endémicos. Embora tenham, no nosso país, características especiais : têm bons automóveis e passam ferias como o turistas.

Só em países de língua portuguesa e espanhola, porque aprender línguas também dá trabalho. 

Como esta maravilhosa família, que vivia como rica à custa da caridade

Tanto se pode dizer sobre este assunto!

E para completar, esta anedota: quando um secretário de estado foi visitar um hospital, esconderam um deficiente. Isto só no tempo de Salazar. Mas mentalidade mudou? Tinha mudado, mas voltou ao mesmo com a avaliação. Introduzida pelo esquerdista Sócrates.


Para além dos profissionais da pobreza, há ainda os profissionais da doença, aqueles que nunca trabalharam com a ajuda de atestados médicos falsos. Com a cooperação dos médicos.

Enfim, o sonho do "portuguesinho" é não trabalhar e viver bem, com mordomias, carros bons, etc.

O título do post é uma paráfrase deste:

Uma face feia do país retratada ao longo de 2781 páginas







sábado, Setembro 13, 2014

Morte que Mataste Lira








Morte que Mataste Lira, uma das canções preferidas da Natália Correia, que faria anos hoje. Se fizesse. Gostava dez  cantar em coro com os amigos.

Ela própria cantava muito bem o Summertime. E esta.